sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Sobre a Felicidade



Bastante difícil e subjetivo interpretar a felicidade por meio de linhas, agulhas e imaginação, mas entre conversas e risadas de todas nós bordadeiras reunidas, surgiu de dentro de mim um jardim secreto e nele, a lua e seus miasmas lunares, o sol e seus ventos solares e a constelação inteirinha das Plêiades em profusão de estrelas tão distantes. Como dizia Antonio Machado, “caminante no hay camino, se hace el camino al andar”. E lá vou eu navegando no caudaloso das águas deste rio...
Sem perceber, aqui está resumida, apenas apontada, a minha Feliz Idade. Marco de onde me encontro hoje em dia, não deixando de lado – claro – os fugazes e momentâneos períodos de felicidade vida afora...

Maria Alice Teixeira Soares
São Paulo – SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário