sábado, 18 de agosto de 2012

Felicidade do outro



A felicidade pode acontecer de muitas maneiras, a minha veio misturada com ansiedade, insegurança e alguma raiva. Ansiedade porque via o tempo passar e o bordado não render, insegurança porque via a obra das outras talentosas bordadeiras e comparava com a minha, e raiva porque não podia me dedicar integralmente ao meu amado bordado, minha vida real não permite. Tudo, porém, é ação e reação, no final percebi que a minha felicidade está aí, em projetar e realizar a beleza através das linhas. 
E quando tudo ficou pronto, isto é, quando o prazo acabou e dei por terminado o trabalho, vi todas as obras reunidas e emolduradas. Cada uma delas tem sua beleza própria e um pouco da personalidade da sua autora. A minha também.
Não era a mais bonita, nem a mais original, nem a mais elaborada, mas ela tem a sua graça, e tem um pouco de mim, e todas têm um pouco da nossa mentora.
Como sempre, o conjunto tem uma beleza gigantesca, em cada um se vê o melhor de sua autora.
Foi mesmo uma felicidade!


Maria Beatriz Coutinho
São Paulo – SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário