domingo, 19 de agosto de 2012

C’est la vie!



Comecei este trabalho pela pintura, na esperança de que ela me inspirasse. “Joguei” umas pinceladas no ar para que a tinta caísse aleatoriamente, quase que num jogo de azar: e deu azar! Não gostei da combinação de cores que fiz. Mas ela estava feita e agora eu teria que aprender a amá-la.
Briguei com meu trabalho por diversos dias, sem saber por onde começar. Então, voltando à idéia original, resolvi obedecer aos caminhos da tinta e caseei à volta da área verde e da lilás. Gostei do resultado. Ficaram áreas em destaque.
Aos poucos foram surgindo “vontades” de bordar aqui com tal ponto, ali com outro, até chegar num último problema: o linho que usei não tinha a medida exigida. Caseá-lo num outro tecido foi a solução encontrada.
Por que FELICIDADE? Porque, como sempre, o bordado nos traz metáforas da própria vida, e o quê é a vida feliz senão abraçar o que ela nos apresenta, viver a situação da melhor forma possível e gostar do que se experimentou?

Talita Ribeiro
São Paulo – SP

Um comentário: