segunda-feira, 9 de abril de 2012

SOLITUDE


Ser convidada para participar do projeto Bordando os Sete reacendeu uma chama que estava já fragilzinha, sem força para seguir em frente sozinha: a do falar pelas mãos, com agulha e linhas. Fazer parte de um grupo, ser chamada de bordadeira, escolher um(a) pintor(a), uma obra... tudo isso foi muito estimulante!
Escolhi a Anita Malfatti porque quis prestar uma homenagem à tia Lilia, amiga querida e sobrinha da Anita, que já está com 90 anos! Fui pesquisar sobre sua vida, viajei com ela para a Europa e os Estados Unidos. Sofri com seu sentimento de rejeição, exclusão e solidão. E fui parar no Maine, onde ela pintou “Paisagem Amarela” que, por razões óbvias, eu chamei de “Solitude”.
Cada ponto era conversado com a Anita, pedia a sua aprovação. Não queria desrespeitá-la num trabalho que, até então, era só dela. Hoje é meu também.
Gostei muito de ser uma das 20, de conhecer pessoalmente várias delas e virtualmente algumas. Tenho um carinho especial pela Jaci;  que, cheia de vigor, vai atrás das novidades, tem ideias mirabolantes e dá até o sangue para que elas se viabilizem.
Minha paisagem foi solitude, que é a escolha de ficar sozinha. Mas nunca fui solitária, pois a Ciranda vai rodando e apresentando uma colega aqui, outra ali, e acabamos sempre muito bem acompanhadas.
Talita Ribeiro
02/04/2012

3 comentários:

  1. Bordadeira de mãos cheias! Seu bordado ficou lindo e adorei lhe conhecer! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Querida Rosangela, você sabe que eu sou fã do seu trabalho, também, não é? Fui te conhecer pessoalmente no dia da exposição por esse motivo. É bom fazer parte da Ciranda com você! Beijo! Talita

    ResponderExcluir
  3. Amei o seu trabalho. Já está postado lá no meu blog. Vi as fotos do ÁLBUM DA PICASA que a Jucirema enviou para mim, amei!
    Vocês todas estão de parabéns! Ótima ideia fazer releitura com bordados.

    Bjs ;)

    ResponderExcluir